25Junho2017


 

 

 

Segurança & Defesa

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Edições Anteriores de S&D

 

Veja as edições anteriores da Revista S&D!

CLIQUE AQUI PARA ADQUIRIR NÚMEROS ATRASADOS DE S&D


 

CapaSD124.jpg

Edição 124

Perspectivas para a Marinha do Brasil
Em 2007, o governo lançou a Estratégia Nacional de Defesa (END), estabelecendo as diretrizes e orientações para que as Forças Armadas pudessem melhor desempenhar suas destinações constitucionais e suas atribuições na paz e na guerra. A Marinha do Brasil (MB) respondeu com seu PAEMB (Plano de Articulação e Equipamento da Marinha do Brasil). No entanto, devido à crise econômica, apenas parte do previsto naquele documento foi, de fato, executado. Este artigo analisa as opções para a MB à luz da realidade econômica do país.

Busca e Salvamento em combate
A atividade de Busca e Salvamento em Combate (C-SAR) tem todos os elementos do serviço SAR de tempo de paz, aos quais se somam os desafios adicionais que resultam do fato de que é conduzida num ambiente em que a oposição pode estar ativamente tentando evitar sua bem-sucedida conclusão. Na verdade, a C-SAR e as táticas, equipamentos e habilidades a ela associadas correm em paralelo a outros tipos de operações militares especializadas.

 

Infiltração/Exfiltração submarina de FOpEsp
Caracterizadas por conduzirem ações de forma sigilosa, uma vez que a surpresa constitui elemento crucial para a condução das operações em que se engajam, as FOpEsp (Forças de Operações Especiais) devem necessariamente estar aptas a se valerem de todas as vias de infiltração/exfiltração (aquática, aérea e terrestre) de modo a serem inseridas e/ou extraídas da AO (Área de Operações) com a maior segurança e confidencialidade possível. O artigo que se segue refere-se ao emprego de submarinos para esse fim.

O M113 no Ejército de Colombia
O M113 é a mais conhecida viatura blindada sobre lagartas do mundo, e sem dúvida aquela que opera em maior número entre os países ocidentais. Anfíbio, aerotransportável e podendo ser lançado por paraquedas, sua versatilidade levou ao desenvolvimento de inúmeras versões voltadas para tarefas específicas. O artigo abaixo concentra-se no seu emprego pelo Ejército Nacional de Colombia.

Reorganização da Força Aérea Brasileira
Em artigo publicado na edição 123 de “Segurança & Defesa”, fizemos uma avaliação sobre os planos da Força Aérea Brasileira (FAB) visando sua reorganização, no sentido de se tornar uma Força Aérea moderna e operacional. Desta vez, analisaremos os passos concretos que já foram dados no aspecto estrutural, com este objetivo.

E MAIS:
Helicópteros de Exploração e Ataque no Ejército Argentino 
O C-130 bombardeiro 
Jogos Simulados de Segurança Rio 2016 
Políticas e práticas de ciberdefesa e contra-inteligência 
Guardiões do céu 
Segurança portuária 
Programas navais na América do Sul 


 

Edição 123

Forças Armadas chilenas: problemas à vista
Reconhecidamente, as Forças Armadas chilenas se encontram entre as mais bem treinadas e equipadas da região. Essa equilibrada força militar supera amplamente, em alguns aspectos, a Argentina, e em alguma medida até mesmo o Brasil e o Peru. Este artigo mostra uma visão argentina do tema.

Emprego Estratégico das ForEsp
Embora muitos Estados promovam o engajamento de suas FOpEsp (Forças de Operações Especiais) apenas como uma alternativa tática limitada às ações no campo de batalha, a relevância das OpEsp (Operações Especiais) estende-se para todos os níveis de condução da guerra/conflito, estando aquelas forças aptas a executar missões de elevado risco e politicamente delicadas.

A FAB prepara-se para seu centenário
Tendo completado suas bodas de brilhante em janeiro deste ano, a Força Aérea Brasileira (FAB) tem à sua frente novos desafios. A força terá que responder de forma convincente para que, quando chegar ao centenário — em janeiro de 2041 — sua situação já esteja estabilizada. O processo já foi iniciado, mas os cortes orçamentários e o contingenciamento de recursos vêm causando grandes prejuízos à operacionalidade.

Meko 360 argentinas: a situação atual
Com a incorporação de quatro fragatas da classe “MEKO 360” (classificadas localmente como Destructores, ou seja, contratorpedeiros), a Armada Argentina deu grande passo qualitativo entre as Marinhas latino-americanas, situação que permaneceu por décadas.

Modernização de blindados
Por uma série de fatores, a modernização de viaturas blindadas torna-se uma prática cada vez mais empregada em todo o mundo. O artigo que se segue menciona alguns dos principais programas e tece comentários sobre vários aspectos desse procedimento.

Navios de escolta da Armada Nacional de Colombia
A Armada Nacional de la República de Colombia (ARC) dispõe atualmente de cinco navios de escolta: quatro fragatas da classe “FS1500” (“Almirante Padilla”), construídas na Alemanha, e uma corveta da classe “Dong Hae”, de construção sul-coreana. O texto que se segue é dedicado a esses navios.

E MAIS:
Tecnologias avançadas na construção naval russa
Polarização Marítima no Século XXI: Atlântico Sul e Mar do Sul da China
ARP na segurança pública


 

EDIÇÃO 122

Combate ar-ar
Uma série de fatores, o principal dos quais provavelmente é a incrível evolução tecnológica experimentada nas últimas décadas, mudou a face do combate ar-ar. O presente trabalho procura mostrar do que são capazes os mais novos e principais caças em produção ou desenvolvimento, e conclui dando uma ideia do que se pode esperar para o futuro nesse segmento.

Submarinos colombianos
O trabalho a seguir descreve os tipos de submarinos operados pela Armada Nacional. Entre os vários fatos interessantes, vale observar que a Marinha colombiana é a única na América do Sul a ter operado submarinos “anões” (midgets).

Batalhão Tonelero: OpEsp dos Fuzileiros Navais
O artigo que se segue é parte de uma série que aborda temas ligados às Operações Especiais. O enfoque agora é sobre o Batalhão Tonelero, do Corpo de Fuzileiros Navais.

Helicópteros de Emprego Geral na Marinha do Brasil
Este artigo analisa sua atual situação da Aviação Naval Brasileira e suas perspectivas futuras, a curto e médio prazos, focando principalmente nos helicópteros de emprego geral, que equipam os esquadrões “HU”.

Veículos Táticos Leves
Quais são as tarefas e missões das Viaturas Táticas Leves (VTL) atualmente e como elas estão sendo encaradas pelos exércitos? Quais desafios a indústria enfrenta para responder a essas novas demandas por parte dos usuários, e como ela as trata? E o que o futuro pode guardar para a próxima geração de VTL?

AC-47T na Colômbia: uma história de “Fantasmas”
Algumas das cenas mais clássicas da Guerra do Vietnã são as que mostram posições sob ataque noturno de efetivos vietcong sendo defendidas por aeronaves AC-47, apelidadas de “Puff, the Magic Dragon” ou “Spooky”. Tratava-se de cargueiros C-47 convertidos para ataque ao solo, armados com metralhadoras atirando lateralmente, que concentravam seus fogos sobre os alvos inimigos em terra, enquanto circulavam. O que poucos sabem é que, em nossos dias, esse conceito é empregado na América do Sul, com grande sucesso, pela Fuerza Aérea Colombiana (FAC).

E MAIS:
Argentina lança com êxito Exocet e Aspide
S&D Entrevista Marcelo Vaz, da Rockwell Collins do Brasil
A evolução da Estratégia Naval brasileira
Conscientizando contra o terrorismo
Radares Navais
LAAD Security 2016


EDIÇÃO 121 

Colômbia: a Aviación del Ejército
Nos últimos tempos, a aviação do Exército colombiano tem sido de grande importância para a segurança do país, principalmente na confrontação com as FARC. Este artigo mostra sua evolução desde os primórdios até os dias de hoje.

1ºBFEsp: Operações Especiais por excelência
A natureza crítica, e muitas vezes arriscada, das tarefas desempenhadas pelas Forças Especiais (FEsp) desperta a atenção da opinião pública mas, por razões óbvias, as atividades das FEsp nem sempre são bem compreendidas ou mesmo conhecidas. No texto, descreveremos como elas estão inseridas no contexto do Exército Brasileiro, com foco no 1ºBatalhão de Forças Especiais.

Patrulhando o mar argentino
Com um litoral de 5.087km de extensão e um mar de 2.800.000km2, a Argentina é também o país mais próximo de uma área de 3.000.000km2 de oceano. Como Autoridad de Aplicación do Convenio de Búsqueda y Resgate, o país assumiu internacionalmente o compromisso de dar assistência em situações emergenciais em que perigue a vida humana. Para controlar a área que lhe foi alocada, precisa de um bem estruturado sistema de patrulha — com meios navais (sobre os quais este artigo se concentrará) e aéreos.

FAB: perspectivas para a Aviação de Transporte
Embora a Força Aérea Brasileira (FAB) tenha conseguido a almejada aquisição de seu novo avião de combate, uma Força Aérea não é feita apenas de caças. Apesar do esforço para se manter atualizada, a Aviação de Transporte da FAB não ficou imune aos efeitos da atual crise econômica, como constataremos neste artigo.

Amazônia Azul: a defesa em gradientes
Os espaços marítimos sobre os quais o Brasil possui direitos exploratórios exclusivos — sintetizados no conceito de Amazônia Azul —, que podem distar até 350 milhas da costa, concentram ativos que expressariam um “Poder Energético”, contribuindo para a solução dos problemas nacionais e para guindar o Brasil na ordem mundial.

E MAIS:
Os SANT no Ejército Argentino 
Almaz Antey: líder russa em defesa 
Assalto e Apoio Logístico: a dimensão vertical 
Fuzis de assalto 
Tecnologia, segurança, inteligência e investigação 
Helicópteros russos na Colômbia e Venezuela 
Tor: a família de SHORADS da Kupol 
CFN aumenta capacidade anfíbia


 

Edição 120

AH-2 Sabre: um russo na FAB
Primeira experiência da Força Aérea Brasileira (FAB) com a operação de uma aeronave de fabricação russa, o Mil Mi-35M (AH-2 Sabre, para a FAB) vem dando o que falar, desde que começou a ser usado no Brasil.

Embarcações e Operações Ribeirinhas
Por centenas de anos, os rios têm sido artérias primárias para comunicações e transporte, representando o caminho mais fácil e mais econômico para tais fins — e muitas vezes o único. Seu controle, bloqueio ou uso ilício pode ser o objetivo-chave de insurgentes, organizações criminosas, comércio ilegal ou ações militares convencionais. Esse artigo trata das embarcações e conceitos envolvidos nas operações ribeirinhas.

S&D Entrevista: o Comandante do Batalhão de Defesa NBQR de Aramar
O Batalhão de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica de Aramar (BtlDefNBQR-Aramar) é uma organização militar sui generis dentro da Estrutura do Corpo de Fuzileiros Navais. Nesta matéria apresentamos uma breve introdução, para que o leitor se localize, seguida de uma entrevista com o Comandante dessa Organização Militar.

Caminhões Táticos Médios
Entre todos os veículos de emprego militar, provavelmente os que têm menos apelo ao público em geral sejam os caminhões — sem os quais, paradoxalmente, nenhum exército poderia operar. No presente artigo, enfocaremos os caminhões táticos médios.

O futuro do treinamento primário/básico na FAB
Durante muitas décadas a Força Aérea Brasileira (FAB) vem contando somente com aeronaves de fabricação nacional para o treinamento de seus pilotos. Esse cenário poderá ser alterado — ou não — nos próximos anos, quando for escolhido o avião que irá substituir o Neiva T-25 Universal. Este artigo analisa as possibilidades, com foco no Novaer T-Xc Sovi. 

E MAIS:
Guardas Marítimas em apoio à Segurança Pública
Radares Navais da Thales
CC Leopard no Ejército de Chile
Modernização de Twin Otter na Argentina
ARP e FOpEsp
Importância das simulações no preparo e emprego do Poder Naval
Segurança física de instalações sensíveis


EDIÇÃO 119

AH-60L Arpía; o falcão que se transformou em águia
A Fuerza Aérea Colombiana (FAC) recebeu os primeiros helicópteros Sikorsky UH-60 Black Hawk em 1998, e hoje é um dos grandes operadores mundiais dessa aeronave. O artigo que cobre as variantes armadas, desenvolvidas localmente.

NAe: resiliência ou obsolescência?
Muitos analistas afirmam que o reinado do navio-aeródromo (NAe) está chegando ao fim, devido ao desenvolvimento de sistemas “antiacesso” de grande alcance e precisão, como mísseis de cruzeiro e mísseis balísticos antinavio. Outros, porém, acreditam que tal tipo de navio permanecerá em uso ainda por muito tempo. Este artigo examina alguns aspectos desta polêmica, com seus reflexos para o Brasil.

Soldados x máquinas: armas anticarro portáteis
O enfrentamento bíblico entre David e Golias — no qual um único soldado enfrenta um oponente muito superior e dominador — é uma realidade aterradora para qualquer militar no campo de batalha atual. O tamanho, velocidade, poder de fogo e aparente invulnerabilidade dos Carros de Combate (CC) pesados e, cada vez mais, das Viaturas Blindadas de Combate de Infantaria (VBCI), são o equivalente moderno daquele confronto. Por motivos de espaço, apenas algumas das armas disponíveis no mercado são mencionadas.

Mísseis BVR na FAB
A adoção de um avião de combate multifuncional como o Gripen NG pela Força Aérea Brasileira (FAB) tornará obrigatória a adoção, por esta, de novas armas e táticas, sem as quais a aeronave seria subutilizada. No que se refere ao armamento ar-ar para emprego além do alcance visual (Beyond Visual Range – BVR), a FAB também precisará fazer suas escolhas, para extrair o máximo da nova aeronave de combate. Este artigo examina algumas das possibilidades.

E MAIS:
A MB e a defesa proativa da Amazônia Azul
Aeronaves de Guerra Eletrônica
IMDS-2015: toda força à frente
O combate à ameaça terrorista
Operações Psicológicas em Segurança Pública: uma reflexão


EDIÇÃO 118

LAAD 2015: incertezas quanto ao futuro
A imensa maioria das empresas que participaram da LAAD 2015 estava claramente apreensiva a respeito de quais efeitos a atual situação econômica do Brasil terá sobre os programas de aquisição de material pelas Forças Armadas do país. Essa situação quase palpável de incerteza foi a tônica dessa edição do evento.

Exército Brasileiro quer helicópteros de ataque
O Exército Brasileiro (EB) vem realizando nos últimos anos um notável esforço para atualizar seus equipamentos e armas, mantendo sua credibilidade como uma força capaz. Um dos projetos estratégicos do Exército é a modernização e ampliação de sua Aviação, que além de aeronaves de asas fixas poderá se mobiliar com seus primeiros helicópteros de ataque dedicados. Este artigo examina os principais helicópteros sob análise pela Força Terrestre.

Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas Táticos
Atualmente, é difícil conceber operações militares terrestres sem o emprego de SARP (Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas), e a tendência é que seu uso se intensifique ainda mais nos anos vindouros. O artigo que se segue enfoca diversos aspectos e comenta sobre o emprego de alguns desses sistemas.

Mísseis Antinavio
Desde seu advento durante a Segunda Guerra Mundial, os mísseis antinavio (MAN) têm se mantido sempre em progresso. Comprovados em combate em várias ocasiões, eles conferem aos seus usuários uma forma de atacar navios a partir de plataformas aéreas, terrestres e navais (de superfície e submarinas).

Viaturas de Socorro e Transporte
Viaturas blindadas são inigualáveis quando se trata de combinar proteção contra fogo inimigo, excepcional mobilidade no campo de batalha e poder de fogo preciso e eficaz. Mas não são invencíveis. Podem ser danificadas por minas e fogo inimigo, ficar atoladas na lama, derrapar para fora de estradas ou ficar imobilizadas em terreno difícil. É aí que entram em cena as Viaturas de Socorro e Transporte.

E MAIS:
Forças de Operações Especiais na Guerra Urbana
Flota de Mar: o pior momento
Veículos para controle de distúrbios no Brasil 


EDIÇÃO 117

Modernização do Navio-Aeródromo São Paulo
O São Paulo é o único Navio-Aeródromo (NAe) verdadeiro existente no Hemisfério Sul. Foi uma compra por oportunidade efetuada "a preço de banana" em 2000, que permitiu a desincorporação do já cansado Minas Gerais e que ajudou em muito no restabelecimento — em termos concretos, e não somente legislativos — da capacidade da Marinha do Brasil (MB) de operar aeronaves embarcadas de asa fixa.

Estações de Armas Remotamente Controladas: uma nova dinâmica em poder de fogo
As Estações de Armas Remotamente Controladas chegaram para ficar. Suas vantagens compensam com sobra as desvantagens, e por isso elas estão sendo adotadas por um número crescente de países como uma solução para aumentar o poder de fogo de vários tipos de viaturas, ao mesmo tempo dando maior proteção aos usuários. 

Aeronaves ISR: inteligência, vigilância e reconhecimento
A capacidade de dispor de informações precisas e em tempo real sobre as forças adversárias é cada vez mais vital nas operações militares modernas, por uma série de fatores. Este artigo descreve os principais sistemas aéreos de ISR disponíveis, e aponta as possibilidades que a Embraer tem de conquistar parte deste mercado, principalmente em Forças Aéreas de países com limitados recursos orçamentários.

Navios de Assalto Anfíbio na América do Sul
Nem todos os países sul-americanos dispõem de capacidade de projetar poder sobre terra. O artigo que se segue mostra a situação atual das Marinhas do continente no segmento dos navios de assalto anfíbio.

E MAIS:
Rádios para helicópteros
S&D Entrevista o Embaixador Celso Amorim
Especial Indústria Russa
Katana: solução da IAI para os futuros desafios da segurança
Fronteiras Sententrionais: uma visão argentina
Sistemas de Lançadores Múltiplos de Foguetes
Predator XP: vigilância e maior consciência situacional
Operações Especiais Policiais no Rio
MEC: a evolução das OpEsp navais


EDIÇÃO 116 

Assinado o contrato do Gripen NG
O mês de outubro foi muito positivo para a aviação militar brasileira. No dia 21, teve lugar a apresentação ("roll-out") do cargueiro/aeronave de reabastecimento KC-390, da Embraer, da qual a FAB tem 28 exemplares sob encomenda. Pouco depois, no dia 24, a Saab e o governo brasileiro assinaram o contrato de 39,3 bilhões de coroas suecas (US$5,4 bilhões) para o fornecimento à Força Aérea Brasileira (FAB) de 36 aviões de combate Gripen NG, sendo 28 monopostos e oito bipostos. 

A situação dos escoltas nacionais
A retirada da corveta Frontin do serviço ativo acendeu, para aqueles que consideram a Defesa Nacional um assunto sério, uma intensa luz amarela. É bom que as autoridades federais abram os olhos para a realidade da Força Naval, a menos que desejem que a expressão "defesa da Amazônia Azul" se transforme em algo sem conteúdo.

Comandos argentinos: atualizando
A última vez que tratamos do tema foi na edição nº81, portanto uma atualização se faz oportuna. Os Comandos do Ejército Argentino (EA) tiveram brilhante atuação na Guerra das Malvinas, na qual combateram de igual para igual contra seus pares ingleses, demonstrando coragem e um alto grau de preparação.

Apresentado o KC-390
No dia 21 de outubro de 2014, em suas instalações em Gavião Peixoto (SP), a Embraer apresentou o primeiro protótipo de seu cargueiro e aeronave de reabastecimento KC-390. No concorrido "roll-out", estiveram presentes dezenas de jornalistas da imprensa nacional e internacional, um grande contingente de funcionários da empresa, autoridades do Brasil e do exterior e grande número de militares brasileiros, predominantemente da Força Aérea Brasileira.

E MAIS:
Submarinos argentinos: o momento
Os rumos da Aviação Naval Brasileira
Ares 14: Portugal treina a evacuação de seus cidadãos
Simulação no treinamento militar
Comunicações na segurança


EDIÇÃO 115

Radares AESA: o futuro chegou
O advento da tecnologia dos radares de varredura eletrônica ativa (Active Electronically Scanned Array, ou AESA) promete um salto na capacidade dos aviões de combate atuais e do futuro, e significativos montantes estão sendo investidos nessa tecnologia em todo o mundo.

FE angolanas aumentam capacidade de projeção
Cabo Ledo, 120km a sul de Luanda, 24 de março de 2014: na base da Brigada de Forças Especiais (BRIFE) das Forças Armadas Angolanas, viveu-se um dia histórico: 248 militares dessa unidade de elite concluíram a formação em paraquedismo, e receberam suas insígnias.

Marinha quer ARP-E para os NPaOc
A Marinha deu mais um passo no sentido de se equipar com Aeronaves Remotamente Tripuladas capazes de serem operadas a partir de plataformas flutuantes (ARP-E).

Armas Ar-Superfície na FAB
A escolha do Gripen NG como novo avião de combate da Força Aérea Brasileira (FAB), no final de 2013, suscita hoje questões relativas ao armamento ar-superfície que equipará a aeronave, além de outras do inventário da FAB, como F-5M e A-1M, que ainda permanecerão operacionais por vários anos — sem contar os Super Tucano e P-3AM.

Defesa Antiaérea Naval: o guarda-chuva invisível
Desde 1º de novembro de 1920, quando o Major-General William "Billy" Mitchell, do U. S. Army, afundou o encouraçado USS Indiana durante uma demonstração na costa leste dos Estados Unidos, as Marinhas passaram a se preocupar com a proteção de seus navios contra ataques aéreos.

E MAIS:
Su-35 pode experimentar "boom" de exportações
Equipamentos de Vigilância Visual
Dia-D: 70 anos
Pantsyr para o Brasil
Especial Argentina: Mirage na FAA e Sherman na Argentina 


EDIÇÃO 114

Entrevista com o Ministro da Defesa
A presente entrevista exclusiva para "Segurança & Defesa" foi concedida pelo Exmo. Sr. Ministro da Defesa, Celso Amorim, a Murillo de Carvalho no início de maio de 2014. Agradecemos ao Sr. Ministro a gentileza com que recebeu nosso enviado.

Escoltas Leves na Armada Argentina
Sendo os menores combatentes de superfície a fazer parte da Flota de Mar, os navios escolta de menor porte têm tido um importante papel nas atividades da Armada Argentina. É o que veremos no texto que se segue.

COBRA: como está o Programa
Maior país da América do Sul, o Brasil tem também o maior Exército. São mais de 200 mil homens e mulheres, em sua maior parte concentrados no Sudeste e Sul do País. Mas, desde 2007, o Exército Brasileiro vem planejando uma ampla transformação, prevendo a aquisição de novos equipamentos, armas, recuperação da capacidade de combate e — mais importante para os fins deste artigo — a modernização do soldado de infantaria.

Os Fulcrum do Peru
A histórica rivalidade entre Peru e Equador deu lugar a enfrentamentos armados por mais de meio século. Após o incidente na zona do "Falso Pasquisa", em 1991, aumentou o nível de tensão na fronteira Norte do Peru, prenunciando futuros conflitos. 

Artilharia de Campanha: sistemas de tubo
A Artilharia de campanha atua de várias formas, como os projéteis disparados por obuseiros, além de foguetes e mísseis. O presente texto trata da Artilharia de tubo, ou seja, os obuseiros autorrebocados (AR) e autopropulsados (AP). Por limitações de espaço, apenas os principais sistemas foram mencionados.

E MAIS:
Helicópteros navais na Argentina
Grupo Milícia: 20 anos de atividades
LSC/EGN: do Atlântico Sul aos Grandes Eventos
LAAD Security 2014


EDIÇÃO 113

Modernização de aeronaves na América do Sul
É um princípio comumente aceito na administração que as demandas sempre são infinitas, enquanto os recursos sempre são limitados. Assim, muitas Forças Armadas são levadas a optar pela modernização de seus equipamentos por uma simples razão: eles são caros de se adquirir e, muitas vezes, um update pode fazer com que um determinado meio tenha sua vida útil bastante prolongada. No Brasil, assim como em outros países, com as Forças Armadas sempre lutando com limitações orçamentárias, isso não é diferente.

Blindados sobre rodas: a nova predileção
Por muitos anos, a expressão "viatura blindada" evocou, quase que invariavelmente, o uso de lagartas. Ultimamente, porém, isso tem mudado de forma bastante acentuada, como veremos no texto.

Navios- aeródromo: as tendências atuais
O presente artigo descreve os Navios-Aeródromo (NAe) atualmente em existência ou programados, relacionando-os por país e por classes.

F-X2 definido: Gripen NG na FAB
Em 18 de dezembro de 2013, o governo brasileiro finalmente decidiu a aquisição de um lote inicial de caças Saab Gripen NG como o próximo avião de combate da Força Aérea Brasileira (FAB), num negócio de pelo menos US$ 4,5 bilhões. O valor deverá chegar a um nível mais alto, com a eventual aquisição de exemplares adicionais para substituir, até 2030, toda a primeira linha da Aviação de Caça da FAB.

Comando & Controle: pedra fundamental da resposta a emergências
Por mais bem equipadas que sejam as polícias, bombeiros e socorristas, a resposta a situações emergenciais será sempre inaceitavelmente lenta e ineficaz se não houver um bom sistema de comando e controle (C&C).

E MAIS:
Mísseis ar-ar na Argentina
Controle de Distúrbios: alguns comentários


EDIÇÃO 112

S&D Entrevista o Comandante de Operações Navais
“Segurança & Defesa” teve oportunidade de entrevistar o Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra Luiz Fernando Palmer Fonseca. 

Russian Helicopters: gigante de asas rotativas
Para muitos, é difícil entender como funciona o segmento de asas rotativas da indústria aeroespacial da Rússia. No texto que se segue, procuraremos desmistificar o assunto, além de nos estendermos um pouco sobre a Rostvertol, empresa que, para os brasileiros, tem um apelo especial, por motivos que descreveremos mais adiante.

Mísseis antinavio nas Marinhas sul-americanas: as novidades
Já há algum tempo o cenário dos mísseis antinavio empregados pelas Marinhas sul-americanas permanece quase inalterado — com exceção de dois países: Brasil e Peru. É o que veremos neste artigo.

Gastos de Defesa na América do Sul: uma perspectiva
A América do Sul costuma ser vista como “o mais desarmado dos continentes”, mas os orçamentos militares dos países sul-americanos foram afetados pela crise financeira internacional deflagrada no final de 2008. A conjuntura econômica desfavorável tem prejudicado os programas de reequipamento das Forças Armadas da região.

VF-1: 15 anos
Em 2 de outubro de 2013, o Primeiro Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (Esqd VF-1) da Marinha do Brasil (MB) completou quinze anos de existência. Apesar dos cortes orçamentários a que têm sido submetidas as Forças Armadas, o balanço da OM é extremamente positivo e as perspectivas para o futuro imediato são animadoras.

E MAIS:
VANT/ARP na Argentina
Aviônicos na modernização de aeronaves
Brasil mais próximo do Pantsyr-S1
IAI fornecerá lanchas Super Dvora à Marinha de Israel
Equipamentos para helicópteros de segurança pública


EDIÇÃO 111

Navios-Patrulha Oceânicos na América do Sul
Com a descoberta de riquezas ao largo do litoral brasileiro, a importância nos Navios-Patrulha Oceânicos (NPaOc) cresceu muito na Marinha do Brasil (MB). Tanto é assim que o Plano de Articulação e Equipamento da Marinha do Brasil (PAEMB) prevê a aquisição de 12 NPaOc de 1.800t entre 2010 e 2024. O presente artigo apresenta uma visão panorâmica dos Navios-Patrulha Oceânicos em uso ou com aquisição prevista nas Marinhas sul-americanas.

Os LIFT e a FAB
Com o aumento do custo de aquisição e de operação dos modernos aviões de combate da 4ª geração em diante, as principais Forças Aéreas do mundo vêm tomando a decisão de adotar um avião de treinamento a jato de alto desempenho. Mesmo ainda sem ter sido definido qual será seu futuro avião de combate, a FAB já sente a necessidade de operar um LIFT.

Modernização do TAM
Durante o mês de março de 2013, foi finalizado o processo de modernização do primeiro protótipo do carro de combate TAM (Tanque Argentino Mediano) para o padrão TAM 2C, que será adotado no Ejército Argentino. 

IMDS 2013
Entre 3 e 7 de julho, foi realizada em São Petersburgo, a “capital naval” da Rússia, a sexta edição do International Maritime Defence Show (IMDS-2013), que contou com o firme apoio das principais entidades federais e do governo local. 

Exército recebe seus Gepard
A entrada em serviço dos veículos blindados AAé Gepard representa o preenchimento de uma lacuna no Exército Brasileiro: a defesa de suas colunas blindadas contra a ameaça de helicópteros de ataque e aeronaves em voo baixo.

FAdeA almeja altos voos
A indústria argentina é dona de uma herança invejável. O final da Segunda Guerra Mundial marcou o início de seu período áureo, mas depois, por uma série de razões de ordem política e orçamentária, veio uma fase de decadência. Atualmente, porém, a Fabrica Argentina de Aviones (FAdeA) envida intensos esforços para alçar voo novamente.

E MAIS:
S&D Entrevista
Munições para armas curtas
SATCOM: comunicações por satélite
Virgilius


EDIÇÃO 110

LAAD 2013
Ocupando três dos pavilhões do Riocentro entre 9 e 12 de abril, e contando com a participação do Vice-presidente, Michel Temer, e do Ministro da Defesa, Celso Amorim, teve lugar a LAAD 2013 Defence & Security, a nona e maior de todas as edições do evento. Cada um desses três pavilhões era dedicado a uma força — Exército, Marinha e Força Aérea — e de uma maneira geral em cada um deles se agrupavam as empresas cujo maior interesse estivesse em cada um desses setores. 

Navios de Propósitos Múltiplos: uma tendência
Atualizando matéria publicada em 2008 (S&D nº 91) e complementando artigo publicado na edição 108, apresentamos uma visão das principais classes de Navios de Propósitos Múltiplos (NPM) existentes no mercado, uma das quais poderá vir a ser selecionada pela Marinha do Brasil.

O mercado mundial de caças
A diminuição do volume de compras, devido às pressões sobre os orçamentos de defesa, em paralelo com o aumento do custo unitário dos modernos aviões de combate, cada vez mais sofisticados e polivalentes, vêm tornado atraentes encomendas e mercados que, há cerca de 30 anos, eram tratados como áreas de interesse menor para os grandes fabricantes.

Andinos na Amazônia
A organização da Marina de Guerra del Perú (MGP) que tem a missão de resguardar permanentemente os interesses fluviais e estratégicos do país no Nordeste é a Comandancia General de Operaciones de la Amazonia (COMOPERAMA).

Guerra Eletrônica: enxergando o invisível
O artigo é um apanhado do cenário de equipamentos de GE (Guerra Eletrônica) naval disponíveis no mundo ocidental.

Escuela de Aviación de Ejército
A Escuela de Aviación de Ejército tem como missão qualificar e habilitar oficiais e suboficiais para que desempenhem as funções de pilotos e mecânicos nas aeronaves da Aviación de Ejército da Argentina (Av Ej).

Mergulhando no Paraíba
Incorporado à Marinha do Brasil (MB) em 1989, e desincorporado em 26 de julho de 2002, o Contratorpedeiro Paraíba (ex-D28) afundou a reboque nas proximidades das Ilhas Maricás (RJ), em 4 de fevereiro de 2005. O texto relata três mergulhos realizados sobre ele por mergulhadores da MB.

Segurança aeroportuária
Por sua própria natureza, um aeroporto é uma instalação que apresenta diversos riscos de segurança. Num aeroporto, há que se prevenir — ou em casos extremos, reprimir — ocorrências que vão desde as mais simples, como violações, extravio ou subtração de bagagens e roubos a mão armada, até o contrabando e o terrorismo.


EDIÇÃO 109

S&D Entrevista Celso Amorim, o Ministro da Defesa
O Exmo. Sr. Ministro da Defesa, Celso Amorim, concedeu a “Segurança & Defesa”, nas pessoas de Murillo de Carvalho e Mário Roberto Vaz Carneiro, uma importante entrevista, quando discorreu sobre os temas da Pasta.

Indústria brasileira de defesa se ajusta ao cenário
Os programas de modernização das Forças Armadas brasileiras, em andamento ou planejados, estão atraindo como nunca a atenção das grandes indústrias do setor e de outras que anteriormente não se dedicavam ao segmento. Além disso, estão sendo geradas parcerias entre empresas nacionais e estrangeiras, bem como aquisição de participação acionária em empresas brasileiras por empresas estrangeiras.

Mísseis Superfície-Ar Navais na América do Sul
A defesa de plataformas flutuantes contra ameaças aéreas é uma preocupação constante da maioria das Marinhas. Procuraremos a seguir das uma panorâmica da situação atual desse segmento no continente sul-americano.

GRUMEC: “Fortuna Audaces Sequitur”
Este trabalho busca dar uma idéia de uma das forças de operações especiais brasileiras menos conhecidas: o Grupamento de Mergulhadores de Combate (GRUMEC) da Marinha do Brasil.

Embraer Defesa e Segurança: gigante em ascensão
O Brasil vive hoje a retomada de projetos importantes na área da Defesa e tem se mostrado determinado a instaurar uma política de incentivos ao desenvolvimento da indústria nacional e ao domínio do conhecimento e ciclo tecnológico característicos deste setor. A Embraer Defesa e Segurança é a prova mais concreta dessa filosofia.

E MAIS:
Comunicações Táticas
Aviões de Patrulha da Aviación Naval Argentina
S&D Entrevista o Presdente da FAdeA
Equipe israelense-brasileira trabalhando na segurança
Terrorismo com bombas, um amargo pesadelo
Desativação de Artefatos Explosivos
Artilharia da Infantería de Marina Argentina


EDIÇÃO 108 

Cooperação com indústrias estrangeiras
As perspectivas de renovação do material das Forças Armadas brasileiras e a nova visão governamental sobre o tema Defesa Nacional reforçam as possibilidades de cooperação internacional e constituição de parcerias entre empresas brasileiras e estrangeiras no setor de defesa.

Mercado para Treinadores Básicos na América Latina
Quando o público e a mídia em geral procuram informações sobre uma determinada Força Aérea, os itens que costumam atrair a maior parte das atenções são grandes aviões de transporte, helicópteros de ataque e, claro, aviões de combate. Mas nenhuma Força Aérea cumprirá a contento as missões de suas diversas aviações sem que, na base de tudo, existam os aviões de treinamento básico. Este artigo analisa o atual status quo do mercado para esse tipo de aeronave na América Latina.

Juan Carlos I: o LHD da Armada Española
Em anos recentes, tem aumentado o número de projetos e encomendas dos chamados “Navios de Propósitos Múltiplos”. Além de serem empregados em desembarques anfíbios, os mais capazes podem abrigar um grupo de Comando e Controle, além de operar aeronaves, mormente de asa rotativa, a partir de um convés contínuo (de proa a popa). Entre esses, destacam-se os LHD (Landing Ship, Helicopter, Dock, ou seja, Navio Desembarque Doca Porta-Helicópteros).

E MAIS:
Gerenciamento de assinatura no Campo de Batalha
Torpedos SST4 na Argentina
Pucará Torpedeiro
Poseidon: inovação tecnológica em rebreathers
Céus tranquilos para o Brasil
Armas de fogo na Segurança Pública
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 107

SisGAAz: monitorando e protegendo a Amazônia Azul
A fim de monitorar a área marítima de interesse vital para o Brasil, a Marinha do Brasil está desenvolvendo o Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (SisGAAz), que se tornará o seu principal sistema.

Blindados do EB: uma rápida atualização
O Exército Brasileiro (EB) tem em andamento uma série de programas visando a recuperação de sua capacidade operacional e esses, embora não tão “glamourosos” como o F-X2 (36 novas aeronaves de combate para a FAB) e o PROSUB (quatro submarinos convencionais e um nuclear para a MB), têm grande importância.

A FAB se prepara para o A-Darter
Depois do AIM-9B, R530, Python 3, MAA-1, MAA-1B, Python 4, Derby, Super 530 e Magic 2 — todos utilizados em maior ou menor grau —, a FAB prepara-se agora para receber um míssil ar-ar de curto alcance ultra-moderno, o primeiro de quinta geração a operar na força: o A-Darter.

Planejamento de segurança de grandes eventos
A segurança de grandes eventos é algo extremamente complexo e com incontáveis nuances. Uma coisa, porém, ninguém discute: sem um bom e abrangente planejamento, jamais se conseguirão resultados ideais. O presente trabalho se concentra exatamente nesse aspecto.

E MAIS:
OpRib na Amazônia: as plataformas flutuantes
A Infanteria de Marina do Chile
A Fuerza Aérea Argentina hoje
Biblioteca S&D
Operação Arcanjo
Os Pucará da FAU
DAE: Desativação de Artefatos Explosivos


EDIÇÃO 106

A visão de futuro do Corpo de Fuzileiros Navais
Até 2030, o Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) se consolidará como uma força estratégica de caráter expedicionário, de pronto emprego e de projeção do poder. Este artigo examina os aspectos principais da visão de futuro da corporação.

Submarinos na América do Sul: uma atualização
Na edição 84 de "Segurança & Defesa", apresentamos um apanhado das forças submarinas dos países sul-americanos. Seis anos se passaram, e julgamos ter chegado a hora de publicar uma atualização do tema. Por razões de espaço — e por julgar que a relevância do tema pede um tratamento diferenciado — deixamos de fora o Brasil.

Um novo "faz-tudo"da Marinha do Brasil
Em anos recentes, a Marinha tem estado engajada em alguns programas que resultarão em substancial aumento de capacidade de sua frota de aeronaves de asa rotativa. E, inexoravelmente, aproxima-se a hora da substituição dos UH-12 e UH-13.

Os rumos da Aviação de Transporte da FAB
A Força Aérea Brasileira (FAB) sempre deu grande atenção à sua Aviação de Transporte. Não se poderia imaginar outra atitude, devido ao tamanho do país e ao papel preponderante que os seus aviões tiveram e ainda têm no trabalho de integração nacional. Agora, chega o momento de se renovar a maior parte de seus meios. Este artigo analisa o que vem acontecendo ou vai acontecer nesta área.

E MAIS:
Entrevista S&D
Cazadores de Monte
Aviacíon Naval Argentina
Céu limpo para o jogo olímpico
SISFRON: Proteção às fronteiras terrestres
Comentários sobre armas "não letais"
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 105

A importância do F-X2 para a FAB
Ao longo de seus 71 anos de história, houve poucas oportunidades em que a Força Aérea Brasileira (FAB) teve a possibilidade de equipar sua Aviação de Caça com material no estado da arte. O Programa F-X2, cuja solução deve ocorrer nos próximos meses, apresenta-se como uma dessas raras ocasiões.

Contratorpedeiros na US Navy: incertezas
Problemas com o desenvolvimento da classe “Zumwalt” (“DDG-1000”), que alguns consideram um cruzador, e não um contratorpedeiro (CT), vêm dificultando a definição do sucessor da classe “Arleigh Burke” (DDG-51) na Marinha dos Estados Unidos.

Fuzis: quando virá um novo breaktrough?
Desde que os alemães, na Segunda Guerra Mundial, introduziram o conceito do fuzil de assalto, a imensa maioria dos projetos de fuzis em todo o mundo seguiu o mesmo conceito, ressalvando-se basicamente aqueles concebidos para uso por atiradores de precisão, tarefa para a qual os mecanismos de ferrolho ainda apresentam alguma vantagem. Quando será dado o próximo “salto” qualitativo em desempenho?

Os planos para a artilharia AAé no EB
Nos dias de hoje, a ameaça aérea pode assumir várias formas diferentes: desde aeronaves (de vários portes) empregadas por terroristas para realizar ataques suicidas até sofisticados mísseis de cruzeiro lançados a partir de plataformas diversas — passando por helicópteros em voo desenfiado, aeronaves de lançamento de paraquedistas, VANT e aviões de alto desempenho para ataque e reconhecimento. Contra essas ameaças, o Brasil precisa estar habilitado a defender os Pontos Sensíveis do Território Nacional, necessitando para tal de uma adequada artilharia antiaérea.

E MAIS:
Batallón de Vehículos Anfibios Nº 1
Paraquedistas portugueses: Operação Nema
KBP reprojeta compartimento de combate do BMP-2
Propelentes compostos, foguetes e mísseis na Argentina
Segurança e tecnologia: binômio do momento
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 104

Aeronaves de ataque leve e contra-insurgência na América do Sul
Na edição 101 de Segurança & Defesa abordamos a atual situação do mercado de aviões de combate na América do Sul. Neste trabalho, analisamos os principais equipamentos das Forças Aéreas do Continente para as missões de ataque leve e contra-insurgência (COIN).

Considerações sobre o PROSUPER
Neste trabalho, examinamos a perspectiva de obtenção de 30 navios de escolta até 2034, prevista no Plano de Articulação e Equipamento da Marinha do Brasil (PAEMB). A obtenção prioritária de um primeiro lote de três (com opção para mais duas) unidades até 2020 foi incluída no Programa de Obtenção de Meios de Superfície (PROSUPER).

Blindados sobre rodas na IMARA
O presente trabalho descreve a história da utilização de viaturas blindadas de rodas pela Infantería de Marina de La Armada Argentina (IMARA), desde 1966 até os dias presentes.

A Munição Vulcano
Com o advento dos mísseis, muitos pensaram que a importância dos canhões navais e dos obuseiros terrestres acabaria por se desvanecer — a realidade, porém, não confirmou essas projeções. Agora, o desenvolvimento de novas munições, como a Vulcano, poderá representar um tremendo impulso na capacidade do armamento de tubo.

Aspectos adicionais dos Programas do EB
Na edição 99 de “Segurança & Defesa”, abordamos de maneira geral os principais programas para a modernização do Exército Brasileiro (EB). No número 101, cobrimos especificamente os planos de modernização da aviação da Força Terrestre. Mais recentemente, na edição 103, detalhamos os planos do EB que já haviam sido enumerados no número 99. Entretanto, por razões de espaço, outros programas ficaram de fora. Com este novo artigo da série, esta lacuna está sendo eliminada.

E MAIS:
Treinadores argentinos
Guarda Nacional Republicana de Portugal
O helicóptero nas ações policiais
MAKS 2011: a águia russa abre suas asas
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 103

O longo caminho do submarino nuclear brasileiro
Poucos escritores de ficção científica terão previsto tão bem a aplicação futura da tecnologia quando Julio Verne, em sua obra “Vinte mil léguas submarinas”. Sua visão se tornou realidade quando o primeiro submarino nuclear do mundo, o USS Nautilus, foi lançado ao mar em 21 de janeiro de 1954 e incorporado à U. S. Navy em 30 de setembro do mesmo ano.

Asas Rotativas na FAB: perspectivas
Na edição 101 de Segurança & Defesa, págs. 58-61, analisamos o atual processo de modernização pelo qual passa a Aviação do Exército, totalmente constituída por helicópteros, e suas perspectivas futuras. Nesta edição, fazemos o mesmo com a Aviação de Asas Rotativas da Força Aérea Brasileira (FAB).

Os programas de modernização do Exército Brasileiro
A Estratégia Nacional de Defesa determina que cada uma das Forças Singulares desenvolva seus próprios Programas de Articulação e Equipamento, por sua vez desdobrados em outros Programas. Neste artigo, falamos de alguns dos Programas do EB.

Super Hornet International Roadmap
O alto custo do projeto e desenvolvimento das atuais aeronaves de combate, combinado com a evolução cada vez mais rápida das tecnologias — e consequentemente dos sistemas e equipamentos — tornam uma modificação de meia vida praticamente obrigatória para qualquer país que opere modernos aviões de caça e que queira mantê-los como plataformas válidas por um razoável período de tempo. 

Submarinos convencionais na Europa
Onze países europeus operam atualmente 77 submarinos de propulsão não nuclear, com quatorze em construção e mais oito sob encomenda.

Blindados Policiais
Há muito tempo se percebeu o valor de veículos blindados em missões de segurança interna. Países europeus às voltas com distúrbios civis já empregavam carruagens, revestidas de chapeamento metálico, a fim de proteger os policiais do arremesso de pedras, garrafas e dos disparos de armas curtas desde fins do século XIX!

E MAIS:
Rosoboronexport: a aposta russa
IMDS 2011: toda força à frente
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 102

LAAD 2011: novo enfoque?
Em relação às suas antecessoras, a LAAD2011 diferiu principalmente em dois aspectos: tamanho (sendo muito maior) e enfoque.

Armamento inteligente na FAB
Até o final da década de 90, a Força Aérea Brasileira (FAB) continuava a empregar em sua aviação de combate armas e táticas similares às utilizadas pelo 1º Grupo de Aviação de Caça nos céus da Itália. O emprego de armamento “inteligente”, mesmo em aeronaves mais modernas, era apenas teórico. Este cenário só passou a mudar mais recentemente, com o processo de modernização pelo o qual a FAB passa, apesar das ainda presentes limitações orçamentárias.

VF-1: presente e futuro
Com os trabalhos para a modernização de nove monopostos e três bipostos em andamento na Embraer, o 1º Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (VF-1) prepara-se para entrar numa nova fase no caminho para sua plena operacionalidade. 

Pistolas e fuzis na LAAD 2011
Embora não possa ser comparada aos Shot Shows dos EUA, a LAAD sempre representou para os profissionais brasileiros a melhor oportunidade de tomar contato com uma pequena amostra do universo internacional das armas de fogo. Neste aspecto, a edição 2011 foi especial.

Sapadores suíços
Embora sejam calmos e procedam com toda cautela, seu trabalho pode ser muito barulhento. E eles têm bons motivos para agir com extremo cuidado, pois é perigoso ser um sapador das Forças Armadas suíças, no desempenho da missão de destruir artefatos explosivos. Na Suíça, eles destroem granadas que não explodiram, e, na Ásia ou na África, minas e depósitos de munição.

Lanvéoc-Poulmic: treinamento e operações da Aéronavale
Em Lanvéoc-Poulmic se concentram unidades de treinamento e operacionais da Aéronautique Navale (Aéronavale), a aviação naval da França. O texto reflete as informações colhidas pelos autores durante uma visita.

E MAIS:
Informe S&D
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 101

Parcerias industriais e transferências de tecnologia
Com o advento da Estratégia Nacional de Defesa (END), a importância atribuída à indústria nacional do setor aumentou exponencialmente. Ficou também clara a necessidade de atualização da Política Nacional da Indústria de Material de Defesa, de forma a permitir maior nível de compras domésticas e a possibilidade de competir no exterior. Isso abriu muitas oportunidades de parcerias industriais.

Mercado de aeronaves de combate na América do Sul
Graças a alguns processos de renovação de seus principais meios de combate — as aeronaves de caça e ataque —, os países da América do Sul vêm sendo alvo da atenção dos fabricantes mundiais. Neste trabalho, analisamos o estado atual das frotas de combate das forças aéreas sul-americanas e seus programas de renovação.

Novas munições militares para armas longas
A História Militar é escrita com exemplos de armamentos em constante aperfeiçoamento. Milhões são gastos diuturnamente como objetivo de maximizar o rendimento de armas cuja genealogia, hoje, pode mesmo remontar a vários séculos. É assim com os fuzis.

Fragatas européias: a busca pela padronização
No contexto europeu, atingir índices elevados de padronização em termos de plataformas flutuantes para escolta tem se revelado um objetivo extremamente difícil de ser atingido.

O Ejército Argentino na atualidade
O Ejército Argentino (EA) busca permanentemente evoluir e adaptar suas unidades a todos os tipos de exigência que lhe sejam impostas pela situação fluida das relações com o poder político e com a sociedade, bem como pelo relacionamento do país com as nações vizinhas.

Primeiro voo de MiG-29 modernizado para a Índia
No dia 4 de fevereiro, o primeiro Mig-29UPG (variante modernizada do MiG-29 desenvolvida pela RAC MiG a pedido da Força Aérea Indiana) realizou seu primeiro voo.

Novas asas fixas para a Marinha do Brasil
Na edição nº 89, de 2007, no artigo “Momento de Decisão para a Aviação Naval”, S&D já havia noticiado o que agora muitos meios de comunicação apresentam como grande novidade: que a Marinha do Brasil (MB) ia realmente introduzir novas aeronaves de asa fixa em seu inventário.

E MAIS:
Modernização da Aviação do EB
Dilemas da nossa segurança
Almaz-Antey: solução russa em defesa antiaérea
BhraMos - o detalhe que conta
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 100

S&D Entrevista o Comandante da Marinha
O Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto, concedeu à "Segurança & Defesa" a entrevista que se segue, onde procuramos cobrir Submarinos, Navios-Patrulha, Navios de Apoio Logístico, Navios de Escolta, Navios-Aeródromo, Aviação Naval, Navios de Propósitos Múltiplos, PAEMB e outros temas.

O futuro das missões REVO na FAB
Com cada vez mais aeronaves em sua Ordem de Batalha com capacidade para receber combustível em voo — em missões conhecidas pela sigla REVO —, a Força Aérea Brasileira (FAB) prepara-se para o futuro, com a aquisição de novas aeronaves capazes de executar essa tarefa.

Narcotráfico e segurança regional
Como qualquer país de dimensões continentais, os Estados Unidos da América têm, desde o início de sua história como nação, problemas em garantir a segurança de suas fronteiras.

Cortes atingem a Royal Navy
Em outubro, o Governo britânico anunciou uma nova Estratégia de Segurança Nacional e uma nova Revisão Estratégica de Defesa e Segurança. Os ajustes orçamentários previstos para os próximos anos atingirão todas as Forças Armadas.

Escuadrón de Aviación de Exploración y Ataque 602
Com experiência de combate nas Malvinas, o Escuadrón de Aviación de Exploración y Ataque é o punho e os olhos da Aviación de Ejército, sendo sua única unidade dedicada ao esclarecimento aéreo e ataque.

Suíça: Alouette III dá adeus e chega seu sucessor
Após 46 anos de serviço, a era do Alouette III na Força Aérea Suíça está chegando ao fim em dezembro de 2010. Os antigos helicópteros estão sendo substituídos pelo EC635. 

Os "Type 42" na Armada Argentina
Os dois contratorpedeiros classe "Sheffield" ("Type 42 batch 1") da Armada Argentina foram os únicos dessa classe operados fora da Royal Navy, e atualmente o ARA Hércules é o único do primeiro lote ainda em serviço ativo.

O BRIC está na Guerra Global ao Terror?
O BRIC, bloco formado por países em desenvolvimento com economias que vem se destacando no cenário mundial – Brasil, Rússia, Índia e China –, tem buscado assumir posições que aumentem sua projeção geopolítica.

E MAIS:
Informe S&D
Biblioteca S&D


S&D 99

Armada Argentina se moderniza
Após muitos anos de abandono, a Armada Argentina se encontrava em situação quase terminal. A partir de 2009, porém, a Ministra de Defensa, Dra. Nilda Garré, produziu uma radical mudança na política de defesa em geral, beneficiando a Armada de forma fundamental.

F-22: a bala de prata
Poucas aeronaves terão sido tão controvertidas ultimamente do que o caça americano de quinta geração Lockheed Martin F-22 Raptor. 

Ofensiva da indústria de defesa italiana no Brasil
Tradicional fornecedora de material de emprego militar para o Brasil — que chegou a incluir até submarinos —, a indústria italiana de defesa tem grandes possibilidades de voltar a ser uma das principais fontes de equipamento militar do país.

Os planos de modernização do Exército
Bem menos conhecido do público do que os Planos de Articulação e Equipamento da Marinha do Brasil (MB) e da Força Aérea Brasileira (FAB), o projeto do Exército Brasileiro (EB) para sua modernização é apresentado neste artigo.

Navios de superfície: essenciais à futura MB
Apesar da importância dos submarinos e da aviação, os navios de superfície constituem os principais meios operativos de qualquer força naval. Este trabalho examina os planos de obtenção e modernização da Marinha do Brasil com relação a esta categoria de meios, com ênfase nas unidades de Esquadra.

E MAIS:
Acordo de Defesa Brasil-UK
IQPC promoverá Congressos de Defesa no Brasil e no Chile
Rotores de Portugal
Curso de Contra-Terrosimo no Rio de Janeiro
Biblioteca S&D


S&D 98

ERRATA: Na edição 98, versão impressa, ocorreram dois erros no artigo "FAB: perspectivas". Na página 14, terceiro parágrafo da coluna da direita, onde se lê que o 2º/8ºGAv (Esquadrão “Poti”), antes equipado com aeronaves H-50 Esquilo e baseado em Natal (RN), foi reequipado com os novos Mil Mi-35M Hind (AH-2 Sabre, na FAB) e transferido para Boa Vista (RR), leia-se que a unidade anteriormente era sediada em Recife (PE), e foi transferida para Porto Velho (RO). Pedimos desculpas aos leitores pelo fato, ocorrido devido ao envio de uma versão ainda não revista do texto para impressão.

Perspectivas para a FAB
Este artigo analisa as perspectivas para o futuro da Força Aérea Brasileira (FAB) em suas diversas áreas, a partir da implementação de diversos programas atualmente em curso.

PAEMB 2010-2030
A Estratégia Nacional de Defesa (END) prevê a edição de vários documentos complementares, tratando da renovação do material e da reformulação das estruturas e doutrinas das Forças Armadas. O presente trabalho pretende apresentar o Plano de Articulação e Equipamento da Marinha do Brasil (PAEMB), bem como alguns comentários julgados pertinentes.

VANT
A aquisição de aeronaves não tripuladas pela FAB é só uma questão de tempo, e dois Hermes 450 estão sendo avaliados.

EC725: um helicóptero para as três forças
Em dezembro de 2008 o Brasil assinou com a Eurocopter um acordo para a produção local de 50 helicópteros EC725, sendo 18 para a Força Aérea Brasileira (FAB) — dois deles para transporte presidencial —, 16 para a Marinha do Brasil (MB) e 16 para o Exército Brasileiro (EB).

As fragatas "De Zeven Provincien"
A classe de fragatas “De Zeven Provincien”, da Holanda, representa o estado da arte atingido por aquele país em termos de projeto e construção de navios de combate.

E MAIS:
Modernização dos Lynx
Counter Terror Expo 2010
Leopard 2A6 em Portugal
Fábrica Argentina de Aviones
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 97 

BtlBldFuzNav: Fuzileiros blindados
Visando a atender a constante busca do estado da arte e a atualização doutrinária, o CFN, desde os anos 70, tem adquirido modernos meios blindados. O artigo menciona as várias facetas desta OM, os três blindados que opera – o M113A1, o SK105A2S e o Piranha IIIC – além de mencionar o quarto tipo de blindado do CFN, o CLANF.

F-X2: a (r)evolução no combate aéreo na FAB
Mais do que a substituição de um equipamento de geração mais antiga por um outro no estado da arte, a introdução de um novo caça pela Força Aérea Brasileira (FAB), escolhido dentro do processo F-X2, representará uma evolução — ou melhor, uma revolução — no modo da FAB combater.

Classe "Hyuga”: presente e futuro
Embora sua classificação oficial de “contratorpedeiros porta-helicópteros” (DDH) seja um eufemismo “politicamente correto”, o Hyuga (DDH-181) e o Ise (DDH-182) poderiam ser “protótipos” de uma possível futura geração de NAe japoneses, embora presentemente a Constituição do país proíba esse tipo de navio. Este artigo examina o potencial de emprego destes DDH.

Fuerza de Operaciones Especiales da MGP
Um dos grupamentos de comandos anfíbios mais experimentados do Pacífico Sul é a Fuerza de Operaciones Especiales (FOES) da Armada Peruana, que no momento combate os grupos terroristas que protegem o negócio de drogas nas selvas da região central daquele país.

Asas de Portugal
A Força Aérea Portuguesa (FAP) tem duas esquadrilhas acrobáticas: uma de asa fixa (“Asas de Portugal”) e outra de asa rotativa (“Rotores de Portugal”). Nesta edição estamos apresentando a primeira.

SINPRODE 2009
A mais recente edição do SINPRODE (Simposio de Investigación y Producción para la Defensa 2009) foi realizada de 11 a 13 de novembro de 2009 no centro de exposições Costa Salguero, em Buenos Aires.

E MAIS:
DICA: Violência legítima, confiança ontológica
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 96

Helicópteros e operações aeromóveis
Não há duvida de que o emprego de helicópteros provocou uma revolução nas operações militares em campo de batalha. É impossível esquecer a imagem de das verdadeiras armas aéreas formadas por centenas de helicópteros Bell UH-1 Iroquois, o popular “Huey”, durante a Guerra do Vietnã. Aparentemente frágil, o helicóptero pode ser um oponente difícil de bater e um componente impossível de ser ignorado na ordem de batalha do inimigo.

FORSUB completa 95 anos
Criada em 17 de julho de 1914 com o nome de Flotilha de Submarinos, a atual Força de Submarinos da Marinha do Brasil recentemente completou 95 anos.

A Classe “Absalon”
O efetivo da Marinha dinamarquesa é de apenas 3.770 militares, dos quais 23% são oficiais. Entretanto, embora sendo um país pequeno, a Dinamarca tem uma longa tradição naval, e possui uma compacta mas eficiente indústria de construção naval, que projeta e constrói os principais meios de sua Marinha — como a classe “Absalon”.

Novos equipamentos para o EA
Por motivo da passagem de mais um ano desde a criação do Ejército Argentino (EA), a força apresentou no Campo Hípico Militar vários equipamentos projetados e produzidos pelo próprio EA.

Exercício Valkyria II
Entre 14 e 20 de maio, com uma importante mobilização de meios, a Fuerza Aérea Argentina (FAA) realizou um treinamento de ByRCOM (Búsqueda y Rescate em Combate, ou Busca e Salvamento em Combate), na IV Brigada Aérea. O texto que se segue descreve o Exercício Valkyria II, que teve lugar na província de Mendoza.

IMDS 2009
A quarta edição do International Maritime Defense Show (IMDS), realizada no complexo LENEXPO, em São Petersburgo, Rússia, de 24 a 28 de junho, mostrou que a indústria naval russa está se revitalizando.

E MAIS:
TAM: Tanque Argentino Mediano
A END e o futuro da Aviação Naval
El Centro: treinando os pilotos da U.S. NAVY
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 95

Aviação Militar Argentina: panorâmica
Há quase três décadas relegadas internamente a segundo plano, as Forças Armadas argentinas encontram sérias dificuldades para sua modernização. Esse aspecto é bem acentuado no caso do material aéreo, como veremos neste artigo.

LAAD 2009
A edição 2009 da LAAD-Latin America Aero and Defence Exhibition foi totalmente diferente da versão anterior. Muito maior em termos de área ocupada e número de expositores, o evento deixou boas perspectivas para 2011. 

S&D Entrevista: Jean-Marc Merialdo
Faltando pouco para a decisão sobre o novo avião de combate da FAB, “Segurança & Defesa” entrevista Jean-Marc Merialdo, representante da Rafale International no Brasil.

Fragatas Classe “Formidable”
As seis fragatas da classe “Formidable” (também conhecidas como classe “Trident”) encomendadas pela Marinha de Cingapura, o menor país do Sudeste Asiático, são as mais recentes descendentes da classe francesa “La Fayette”.

O exemplo da Suécia
Em sete anos, a Suécia saiu do zero em termos de indústria aeronáutica para se tornar um dos líderes mundiais no campo. O autor dá sua visão sobre isso e tece considerações sobre a filosofia de projeto de aeronaves de combate.??

A crise no Oriente Médio e a END
O conflito entre Israel e o Hamas na Faixa de Gaza, iniciado em 27 de dezembro de 2008, ocupou o noticiário mundial no início de 2009. Até o momento, o desfecho ainda é imprevisível, tendo em vista que no Oriente Médio o cenário pode mudar drasticamente em questão de dias.

E MAIS:
TEES Brazil: Tactical Explosive Entry School
40 anos do 6º ETA
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 94

Uma nova FAB
Na edição nº 75 de “Segurança & Defesa”, no artigo “A FAB no Século 21”, foram analisadas as modernizações e aquisições de aeronaves previstas no Programa de Fortalecimento do Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (PFCEAB). Na época, temia-se pela falta de continuidade deste programa, em virtude do cancelamento do Programa F-X e da assunção de Luís Inácio Lula da Silva à presidência, o que também lançava um manto de dúvidas e incertezas com relação ao relacionamento do novo governo e as Forças Armadas. Este artigo pode ser considerado uma revisão e atualização daquele.

Comentários sobre a END
A nova Estratégia Nacional de Defesa (END), aprovada pelo Decreto nº 6.703, de 18 de dezembro de 2008, é um documento de difícil avaliação, pela quantidade de idéias que contém.

Brahmos: um update?
O BrahMos, um dos mais poderosos mísseis de cruzeiro do mundo — se não o mais poderoso — comemorou recentemente seu décimo aniversário.

Fragatas “Friedtjof Nansen"
Em 1997 a Noruega iniciou a definição do projeto de sua futura classe de fragatas, genericamente referida como “Projeto F85”.

F/A-18E/F Super Hornet
O finalista americano na competição F-X2 da Força Aérea Brasileira é o Boeing F/A-18E/F Super Hornet, que nem chegou a participar da primeira competição, F-X. Nada mal para uma aeronave cujo antecessor direto, o F/A-18 FSD1, fez o primeiro vôo há mais de 30 anos, em 18 de novembro de 1978.

E MAIS:
Gastos militares na América Latina
Um helicóptero russo na FAB
Informe S&D
P-3 argentinos
Sukhoi Su-35
Submarinos argentinos
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 93

Bharatiya Nau Sena: Marinha Indiana atinge a maioridade
A Marinha indiana tornou-se a mais poderosa força naval entre os países banhados pelo Oceano Índico e já goza de grande prestígio internacional, embora ainda tenha problemas e limitações a superar.

A short-list do F-X2
Tantas vezes postergado, o Programa F-X da Força Aérea Brasileira (FAB), para a seleção de seu futuro avião de combate, começa a dar passos mais largos rumo ao final desejado. Em outubro de 2008, a FAB selecionou as três empresas e aviões finalistas.

Carros de combate em áreas edificadas
O Carro de Combate (CC), por décadas o rei das batalhas, enfrenta sérias dificuldades para se impor em combates em áreas edificadas. Este artigo tece comentários a respeito.

AIP: o Brasil de fora?
Em “Segurança & Defesa” nº 88, pág. 4-12, em outro artigo sobre sistemas de propulsão independentes da atmosfera, ficou claro que esses sistemas não são substitutos da energia nuclear. Mas há considerações importantes neste artigo.

E MAIS:
Novidades da FAB
S&D Entrevista Gilberto Buffara
S&D Entrevista Brigadier General Jorge Chevalier
Biblioteca S&D
Forças Especiais Eslovacas 


Edição 92

Errata: No artigo “Páras despedem-se das Chaimites” (S&D nº 92 págs. 14-16), o autor esclarece que as viaturas referidas como V-700 e V-600 são na realidade V-200 transformadas pelo Exército Português, entre 1984 e 1988. As designações corretas são Auto Blindado Porta-Morteiro 81mm Chaimite D 4x4 M/67-87 V-200 e Auto Blindado Porta-Lança Mísseis Chaimite D 4x4 M/67-87 V-200.

A adequação da Aviação de Patrulha
A aviação de patrulha marítima baseada em terra é um componente essencial das forças de um Teatro de Operações marítimo. A descoberta de importantes reservas de petróleo na Plataforma Continental brasileira torna urgente a modernização e ampliação da aviação de patrulha brasileira. 

Exercício anfíbio “Intercâmbio Sul”
De 14 a 25 de julho foi realizado na Argentina um exercício anfíbio com a participação de quatro países, entre eles o Brasil. Eis a descrição de como transcorreu.

Páras despedem-se das “Chaimites”
Dentro em breve novas viaturas blindadas de transporte de pessoal começarão a ser empregadas pelo Exército Português: as Pandur II 8x8. Até lá, as veneráveis V-200 Chaimite continuarão em serviço. Os pára-quedistas, que nunca as utilizaram na guerra na África, mas receberam-nas no final de 1995 para utilização na Bósnia-Herzegovina, despedem-se delas agora, em Kosovo. As “Chaimite” não deixam muita saudade, mas a realidade é que tiveram que servir, na falta de melhor opção!

As Dez Mais
Um exame das dez invenções selecionadas pelo U. S. Army em 2007 pode revelar muita coisa sobre a postura do combatente americano no Iraque e no Afeganistão.

E MAIS:
Torpedos pesados ocidentais: atualizando o tema
A estatal russa do Século 21
102º Batalhão de Reconhecimento
BMP-3 IFV: pau para toda obra
Exercício combinado “Aurora Austral II”
Operação Atlântico
“Felino” em São Jacinto
Contrabando Presidencial
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 91

No Brasil o Garcia d’Ávila
No dia 9 de maio de 2008, chegou ao Rio de Janeiro o NDCC (Navio de Desembarque de Carros de Combate) Garcia d’Ávila, cujo indicativo visual é G29. Num primeiro momento, o navio ficou subordinado à DGMM (Diretoria Geral de Material da Marinha), sendo transferido pouco depois para o setor operativo. Trata-se do ex-RFA (Royal Fleet Auxiliary) Sir Galahad (L3005), que em 2006 havia sido retirado de serviço ativo na Grã-Bretanha.

Gripen Demo: o futuro chegou
A cerimônia de roll-out do Gripen Demo, no dia 23 de abril último, com o posterior primeiro vôo, de 30 minutos de duração, no dia 27 de maio, foram dois eventos que marcam o comprometimento da Gripen International e do governo da Suécia com o futuro do programa Gripen.

Brasil e Suécia estão cada vez mais próximos
Bengt Janér mantém estreita relação com a Suécia e com o Brasil. Sueco de nascença, ainda criança mudou-se para o Rio de Janeiro. Depois de décadas de experiência como consultor para as indústrias suecas de material de defesa, acaba de ser nomeado diretor geral da Gripen no Brasil pela também sueca Saab, controladora da Gripen International. No escritório da empresas em Brasília, “Segurança & Defesa” ouviu esse sueco de coração brasileiro.

Argentina: VIIIva Brigada de Montaña
O artigo procura dar uma idéia da operação dessa Organização Militar (OM) do Ejército Argentino (EA), especializada em operações na alta montanha.

Armamento de tubo para escoltas
A Marinha do Brasil está prestes a escolher uma nova classe de fragatas, para serem construídas no país. Embora não esteja insatisfeita com o seu canhão médio atual (Mk.8, de 114,3mm), a MB estaria disposta a considerar a instalação nos novos navios de canhões maiores (127mm), possivelmente por sua maior eficácia em apoio de fogo e à maior variedade de munições disponíveis.

E MAIS:
S&D Entrevista
Navios-aeródromo de helicópteros de assalto
As duas Amazônias do brasil
Atlântico Sul e o Poder Naval


EDIÇÃO 90

SU-35: perto da 5ª geração
No mercado mundial de caças, a Sukhoi, da Rússia, está apostando suas fichas, no futuro próximo, num caça multi-função Su-35 substancialmente modernizado. 

Piranha IIIC no CFN
Em cerimônia realizada no Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo no dia 20 de agosto de 2007, foram oficialmente entregues ao setor operativo da Marinha do Brasil — mais especificamente ao Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) — as quatro primeiras Viaturas Blindadas Especiais SR 8x8 Piranha IIIC.

Navios de Escolta na América Do Sul
As Marinhas da América do Sul operam um total de 66 navios destinados a escolta. — incluindo a corveta Barroso, em fase final de construção. Sua capacidade varia bastante, havendo desde navios sofisticados — como as “MEKO” argentinas, as “Niterói” modernizadas do Brasil e as novas fragatas do Chile — até plataformas mais simples, como os dois escoltas uruguaios e os dois operados pela Guarda Costas venezuelana. O presente trabalho procura dar uma idéia geral do panorama atual.

VANTs na Argentina
Através da Dirección de Investigación Desarrollo y Producción (DIDEP), o Ejército Argentino deu início ao “Proyecto Lipán”, visando o desenvolvimento e produção de Veículos Aéreos Não Tripulados.

Tigre: o felino europeu
A entrada em serviço do helicóptero de combate Tigre na ALAT (Aviation Légère de l'Armée de Terre, ou Aviação Leve do Exército) francesa, introduz essa força num novo patamar em termos de operações aéreas.

E MAIS:
Informe S&D
Forças Especiais da Suécia
Manobras do CMN
Modernização da Força Aérea Portuguesa
Corsários e piratas na pós-modernidade


EDIÇÃO 89

Os atuais programas da Marinha Chilena
A Armada de Chile encontra-se engajada num ambicioso esforço de reequipamento da Escuadra Nacional.

Asas rotativas sobre a Amazônia
Esse artigo analisa o atual quadro da Aviação de Asas Rotativas na área da Amazônia, nos três ramos das Forças Armadas Brasileiras, considerando o presente e as perspectivas futuras.

Novidades brasileiras na LAAD 2007
Não foram muitas as novidades apresentadas pela indústria brasileira de defesa presente na LAAD2007, realizada no Rio de Janeiro de 17 a 20 de abril. Entretanto, algumas delas merecem comentários adicionais.

Streetcar 304: lições e reflexões
A Naval Institute Press lançou recentemente um livro denominado “The Rescue of Streetcar 304”, que descreve uma das operações consideradas clássicas dentro do escopo da Busca e Salvamento em Combate.

Momento de decisão para a Aviação Naval
O estado de penúria das Forças Armadas frente à contínua redução de seus orçamentos as tem conduzido a um grave estado de obsolescência de meios. Aqui são examinadas especificamente as implicações desse status quo para a Aviação Naval.

Novos desafios para a Deutsche Marine
A anunciada reestruturação das Forças Armadas alemãs, a fim de dotá-las de maior capacidade de atuação internacional, resultará numa ampliação das missões da Marinha daquele país, tornando necessário o aumento de sua capacidade oceânica.

Força 17: A “Guarda Presidencial” da ANP
Este artigo é uma introdução à história da principal força de elite a serviço do Presidente da Autoridade Nacional Palestina – ANP (As-Sulta Al-Wataniyya Al-Filastniyya). 

E MAIS:
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 88

AIP em perspectiva
O anúncio de que a Marinha do Brasil (MB) havia decidido não equipar seu próximo submarino, um “IKL-214”, com um sistema de propulsão AIP (Air-Independent Propulsion, ou Propulsão Independente da Atmosfera) gerou uma série de manifestações contrárias na imprensa escrita e na Internet. A verdadeira enxurrada de absurdos incluiu inclusive referência à AIP como alternativa à propulsão nuclear para submarinos. 

África do Sul: colaboração com o Brasil
Nos dois anos desde que a principal empresa sul-africana de defesa estabeleceu uma subsidiária em nosso país, a Denel do Brasil, foram lançadas as fundações para uma ampla colaboração em diversas frentes. O carro-chefe é o programa conjunto de desenvolvimento de um míssil ar-ar avançado de quinta geração, o A-Darter.

Operação Orca Fase II
Em S&D nº 87, relatamos a Fase I da Operação “Orca 06”. A Fase II, que envolveu exercícios de Busca e Salvamento em Combate (C-SAR), é descrita neste artigo.

Argentina desativa M5 e M9
Recentemente o Ejército Argentino (EA) retirou de serviços todas as viaturas blindadas meia-lagarta M5 e M9 que, repotencializadas, ainda se encontravam em serviço principalmente no Regimiento de Infantería Mecanizado 15 (RIMec 15).

Antonov ASTC
Os 60 anos de história da Antonov estão intimamente ligados ao desenvolvimento de aeronaves militares.

Velocidade, precisão, potência: o mundo do BrahMos
A BrahMos Aerospace é um exemplo típico de singularidade e perfeito gerenciamento de projeto no atual mercado de armamento. Em sete anos, a empresa projetou, desenvolveu, produziu e entregou um formidável sistema de armas que é bem superior em desempenho aos mísseis de cruzeiro existentes.

E MAIS:
S&D Entrevista: Luiz Carlos Siqueira Aguiar, da Embraer
Fuerza Aérea Ecuatoriana
Marinha Oceânica para quê?
Ejército de Chile se moderniza
Forças Armadas de Cabo Verde: 40 anos


EDIÇÃO 87

Submarinos da Marinha do Brasil: Atualidades e perspectivas
Nos últimos tempos o tema “submarinos na MB” tem sido presença constante na mídia nacional. Entretanto, grande parte do que tem sido publicado compõe-se de comentários imprecisos ou inverídicos, quando muito misturados a meias-verdades. Para obter um posicionamento preciso sobre o assunto, procuramos a pessoa mais indicada: o próprio Gerente de Submarinos, Contra-Almirante (RM1) Wellington Liberatti, que gentilmente concordou em preparar o texto publicado nesta edição.

S&D Entrevista: O Gerente de Submarinos
Além de preparar o texto do artigo precedente, o CA (RM1) Wellington Liberatti também respondeu a uma série de perguntas que lhe foram propostas pelo editor de Segurança & Defesa.

Operação Orca - Fase I
Entre 13 e 25 de novembro, a Base Aérea Militar (BAM) Mar del Plata sediou uma atividade aérea pouco usual. Durante o período em questão aconteceu a Operação “Orca 06”, na qual tomaram parte meios aéreos das II e VII Brigadas Aéreas. A Fase I, descrita neste artigo, constou de tiro aéreo por parte de aeronaves Pucará.

Tropas Especiais (Pára-quedistas) de Cuba
António E.S. Carmo descreve os detalhes da criação e história das Tropas Especiais Pára-Quedistas das Forças Armadas Revolucionárias e do Ministério do Interior de Cuba, um assunto muito pouco explorado.

F-16 em operação na Polônia
Algo impensável há relativamente poucos anos acabou de acontecer: um jato de combate americano de primeira linha entrou em serviço na força aérea de um país do Leste europeu.


EDIÇÃO 86

EUROSATORY 2006
Mil e oitenta empresas expuseram seus produtos e serviços na edição 2006 da conhecida feira de material de defesa terrestre, realizada em Paris de 12 a 16 de junho.

Exercício “Pegasus”: a FAA em ação!
A Patagônia argentina mais uma vez foi cenário de um importante exercício aéreo envolvendo vários meios da Fuerza Aérea Argentina (FAA). Entre 28 de abril e 5 de maio, a Base Aérea Militar (BAM) Río Gallegos sediou a operação “Pegasus”.

O rearmamento da América Latina
Lenta, mas firmemente, alguns países sul-americanos vêm adquirindo material mais moderno para seus arsenais. Para proteger seus interesses, o Brasil precisa monitorar os acontecimentos e tomar as medidas necessárias.

Cada soldado um milionário
Quando se trata dos chamados países “ricos”, o soldado combatente, que sempre foi visto como um símbolo de rusticidade e simplicidade, está se transformando cada vez mais num item caro e sofisticado.

Tamanho é documento
Volta e meia alguns setores da imprensa publicam afirmação de que o efetivo das Forças Armadas brasileiras é excessivamente grande. Essa assertiva não resiste a uma análise cuidadosa, como mostra este artigo. 

E MAIS:
Argentina repotencializa M113
Exercício “Paraná IV”
ARA La Argentina modernizado
Exercício “Felino” em Cabo Verde
Invasão de Cuba: 45º Aniversário
Biblioteca S&D/Informe S&D


EDIÇÃO 85

Forças Armadas e orçamento
No Brasil, as políticas governamentais de “Estado mínimo” resultaram no sucateamento da defesa nacional. Em 2005, os encargos relativos ao pagamento de pessoal das Forças Armadas continuaram a limitar as verbas para custeio e investimentos. O presente artigo procura dar uma visão do quadro orçamentário da defesa nacional no ano que se encerrou.

Marina de Guerra del Perú
Surgida durante a luta de libertação do século XIX, a armada peruana é atualmente, pela disposição de seus meios operativos, a experiência de seu pessoal e o compromisso com o desenvolvimento tecnológico, uma das forças navais mais importantes do continente na região do Pacífico Sul. 

FAP: A Cruz de Cristo no Afeganistão
Nos últimos quatro anos a Força Aérea Portuguesa (FAP) tem estado empenhada em operações militares no Afeganistão, com: pessoal do serviço de saúde; destacamentos aéreos de C-130; destacamentos de controle aéreo tático em apoio a unidades do Exército; e especialistas de diferentes áreas — quer no Quartel-General da ISAF (International Security Assistance Force) quer no aeroporto de Kabul. A FAP tem feito de tudo, ou quase tudo.

Detectar, engajar, eliminar! Estágio de Caçadores no 1º BIS (Amv)
Nesta edição apresentamos mais informações sobre o emprego desses combatentes especializados no Exército Brasileiro (EB) e detalhes sobre o Estágio de Caçadores, realizado em agosto de 2005, pelo 1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel).

REVO: Reabastecimento em Vôo
As operações de REVO (reabastecimento em vôo) são cada vez mais difundidas, e sua importância cresce a cada momento. Ao destacar o emprego do poder aéreo nos muitos conflitos que o mundo tem presenciado, mormente nos últimos 20 anos, a mídia via de regra não mostra esse tipo de operação. Entretanto, atrás da grande maioria das surtidas de caças e bombardeiros está toda uma estrutura envolvendo o uso de aeronaves de reabastecimento. 

E MAIS:
Regimiento de Infantería Mecanizado 20
MSS Navais: hora de começar a pensar
FAR: A história e o Museo Del Aire
“Gaucho” apresentado na Argentina
Biblioteca/Informe S&D


EDIÇÃO 84

Submarinos na América do Sul
Existem atualmente na América do Sul 24 submarinos de porte oceânico — em operação, em testes ou em construção —, o que dá uma idéia da importância dada a esse tipo de navio no continente. 

RIMec 8
Veterano de muitas batalhas, o Regimiento de Infantería Mecanizado 8 do Ejército Argentino opera basicamente na região meridional do país. Este texto descreve essa interessante unidade e sua área de atuação “sui generis”.

O emprego de Caçadores no Exército Brasileiro
Somente no início do Século XXI o Exército Brasileiro despertou para a necessidade de fazer uso de “Caçadores” (Snipers) em suas unidades de Infantaria. Mas, ao tomar a decisão, resolveu recuperar seu atraso nesta importante área.

Submarinos da Classe “Amur"
Com base na experiência obtida ao longo de muitos anos de operação de submarinos diesel-elétricos pela marinha russa e pelas marinhas de outros países em diferentes oceanos, o Bureau Rubin desenvolveu os modelos “Amur”, sua nova geração de submarinos não-nucleares.

Demonstração do BT47 no Rio
Em novembro de 2005 foi realizada no Rio de Janeiro uma demonstração do sistema de simulação tática BT47, produzido pela Saab Training Systems.

E MAIS:
MT, ZC, ZEE: patrulhando e protegendo
Modernizando o armamento de blindados: a visão da KBP
IMDS 2005
Modernização do Exército do Peru: a agenda pendente
Conflitos irregulares
A história pictorial do 1º/1º GTT
Biblioteca/Informe S&D 


EDIÇÃO 83

A nova Política de Defesa Nacional
Recentemente foi assinado pelo presidente da República, sem qualquer alarde ou publicidade, o Decreto n.º 5.484, de 30 de junho de 2005, aprovando uma nova Política de Defesa Nacional (PDN) para o Brasil.

Exercício Plata III
Entre 26 de junho e 1º de julho foi realizado o exercício combinado “Plata III”, envolvendo a Fuerza Aérea Argentina e a Força Aérea Brasileira, tendo o Uruguai como observador.

Obuseiros AP na Patagônia Argentina
Os Vehículos Combate Artillería (VCA) do Ejército Argentino são os melhores obuseiros autopropulsados da América Latina, e se encontram entre os mais avançados do mundo.

1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel): Selva!
O 1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel), o Batalhão Amazonas, completou em 1º de janeiro de 2005 seus 90 anos de existência. Parte da chamada Força de Ação Rápida do Exército Brasileiro, o 1º BIS é, sem dúvida, uma unidade de elite e extremamente operacional.

Defesa de Bases Aéreas: As opções do Brasil
Bases aéreas são alvos prioritários em qualquer conflito entre nações, ao lado de instalações industriais, hidrelétricas, aquartelamentos militares e outros. Este artigo analisa as características das principais ameaças e os possíveis meios de defesa das bases aéreas da Força Aérea Brasileira (FAB).

Forças Especiais do Exército Esloveno
A Eslovênia, um dos mais novos países da Europa, já possui uma Unidade de Operações Especiais. O desenrolar dos acontecimentos que levaram à sua ativação é o tema deste artigo.

E MAIS:
ARA Gómez Roca: Concluído o Programa MEKO 140
100 ARW: “Postos de Gasolina” da USAFE
Marinha do Japão: “Sopa de Pedras” naval
Golfe 2005
Esquemas de Pintura do 1º GTT
S&D Entrevista
Biblioteca S&D


EDIÇÃO 82

Brazilian Defence Market EM INGLÊS
When it comes to defense, each country has its own specific context, which must be taken into consideration by those professionally involved in this field. This text is meant to help LAAD visitors to better understand the Brazilian defense scenario.

Células de Combustível: solução predileta para AIP
Das várias soluções disponíveis para AIP (Air-Independent Propulsion, ou Propulsão Independente da Atmosfera) em submarinos, a mais popular é a das células de combustível (CC), utilizada atualmente (ou com utilização prevista) em mais de 20 submarinos de cinco países.

Céu de brigadeiro para aeronaves ISR da Embraer
As aeronaves ISR (Intelligence, Surveillance & Reconaissance — Inteligência, Vigilância e Reconhecimento) da Embraer já estão sendo utilizadas pelo Brasil (cinco EMB-145AEW&C, de Supervisão Aérea, e três EMB-145RS, de Sensoriamento Remoto) e também foram entregues à Grécia (quatro EMB-145AEW&C) e México (um EMB-145AEW&C e dois EMB-145MP, de Patrulha Marítima).  

Blindados sobre rodas 8x8
Em anos recentes, muitas tarefas que anteriormente eram prerrogativa dos blindados sobre lagartas passaram a ser cumpridas por viaturas sobre rodas. Mas, dentro do segmento específico das VCR (Viaturas de Combate Sobre Rodas), ocorreu um fenômeno interessante: após um período de predominância total dos veículos 6x6, o que se vê agora é um crescimento acentuado de encomendas de blindados 8x8. 

Construção de Submarinos no Brasil
O lançamento ao mar, no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, do submarino Tikuna, no dia 9 de março último, foi mais um importante passo dado pela Marinha do Brasil na busca da sua independência no projeto e construção de submarinos, incluindo os de propulsão nuclear.

Indústria Militar Argentina
A crise financeira que assolou a argentina em tempos recentes teve efeitos substantivos sobre a indústria de material de emprego militar. Este artigo apresenta um panorama atual da situação da indústria de defesa do país vizinho. 

E MAIS:
Biblioteca S&D
Reequipamento das FFAA argentinas: as necessidades


EDIÇÃO 81

LIFT: Cenário mundial e as opções da FAB
Vem ganhando terreno, em nível mundial, a adoção de LIFT (Lead-In Fighter Trainers). Na Força Aérea Brasileira, a adoção ou não de um LIFT e a escolha da aeronave ideal para a missão são alvos de muitas discussões.

Combate urbano
Desde tempos imemoriais, as cidades sempre se apresentaram como problemas especiais para os planejadores e executores de campanhas militares. Acontece que, frequentemente, suas características especiais tornam sua conquista quase que obrigatória.

O futuro da construção naval militar no Brasil
Historicamente a construção naval militar no Brasil tem sofrido “surtos” de desenvolvimento, seguidos de ostracismo total. Agora, com o lançamento do novo Plano de Reaparelhamento da Marinha (PRM), surge uma real oportunidade de retomar o crescimento deste setor, estratégico para a Marinha e o País.

Novo plano argentino de radarização
O presidente da Argentina, Dr. Néstor Kirchner, assinou em 14 de outubro de 2004 o Decreto N° 1407/2004, através do qual é aprovado o “Sistema Nacional de Vigilancia y Control Aeroespacial 2004”.

Felino 2004
Exercício em Angola reuniu países de língua portuguesa.

Cruzex 2004
A segunda edição da Operação Cruzex, realizada no Nordeste brasileiro, foi um sucesso, reunindo militares e aeronaves de quatro países e observadores de outras três.

Dios, Patria o Muerte: Os Comandos Argentinos
Conheça as Compañías de Comandos 601 e 602, unidades de elite do Ejército Argentino. 

E MAIS:
O novo Pampa argentino.


EDIÇÃO 80

Entrevista com o Comandante da Marinha
O Almirante-de-Esquadra Roberto de Guimarães Carvalho concedeu uma longa entrevista à Segurança & Defesa, onde fala, principalmente, sobre a situação atual da Força e sobre o Plano de Reaparelhamento da Marinha (PRM).

Rússia: a abertura para a cooperação
A visita do presidente da Federação Russa, Vladmir Putin, ao Brasil em novembro terá como um dos itens de destaque a cooperação industrial na área de defesa com nosso País.

RPG-7: A história continua
Conheça a arma que é possívelmente o maior clássico em termos de armamento individual anticarro: o lança-rojão RPG-7 russo.

SH-3: Modernizar ou substituir?
Os helicópteros anti-submarino SH-3A/B Sea King vêm prestando um inestimável serviço à Marinha do Brasil há mais de 30 anos.

Fuerza Aérea Boliviana
Conheça a Força Aérea Boliviana, que vive um momento de dificuldades e de incertezas quanto ao seu futuro. 

Armada de Chile
Com a recente aquisição de submarinos novos Classe “Scorpène” e de Fragatas holandesas e britânicas de segunda-mão, a Marinha do Chile vive um momento muito bom.

E MAIS:
Biblioteca S&D
Open Skies
Hermes


EDIÇÃO 79

ModFrag: Uma atualização
O artigo mostra o atual status do programa ModFrag, de modernização das fragatas Classe “Niterói”, da Marinha do Brasil.

Força Aérea Paraguaia
O artigo mostra a situação da Força Aérea Paraguaia e como a mesma desenvolve suas ações e planos de modernização com recursos cada vez mais escassos.

CB 90H e G Boat no Brasil
Segurança & Defesa acompanhou de perto as apresentações da “Combat Boat” CB 90H sueca e da Group Boat (G Boat) finlandesa em Manaus, para o Exército Brasileiro.

S&D Entrevista: O Comandante do HS-1
O Capitão-de-Fragata Bittencourt conversou com S&D sobre o presente e o futuro do 1º Esquadrão de Helicópteros Anti-Submarino (HS-1) e seus SH-3.

SOGA: Quem são e o que fazem
Conheça essa tropa de elite de pára-quedistas portugueses. 

S&D Entrevista: O Gerente-Geral da EADS no Brasil
Eduardo Marson conta à S&D os planos do poderoso grupo aeroespacial europeu para o Brasil. 

Desincorporações na Marinha do Brasil
A transferência para a reserva da Fragata Dodsworth chamou a atenção de analistas militares para o problema da falta de verbas na Marinha e nas demais Forças Armadas.

E MAIS:
Alemanha transfere seus MiG-29 para a Polônia
Blindados uruguaios
Os hovercrafts do Almaz
Informe S&D


EDIÇÃO 78

C-SAR: as soluções
O artigo analisa as diversas soluções oferecidas pelo mercado para a missão C-SAR, lembrando as necessidades das Forças Armadas brasileiras nesta área.

CIGS: o lado oculto
O artigo enfoca uma face pouco conhecida do afamado Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), do Exército Brasileiro: a definição da doutrina de guerra na selva do EB.

Fuerza Aérea Uruguaya: passado e presente
A FAU, tradicional Força Aérea sul-americana, na ausência de conflitos com seus vizinhos, dedica-se ao papel de apoio à comunidade, missões antárticas e missões de paz.

Royal Navy update
As informações mais recentes sobre uma das mais importantes Marinhas de Guerra do mundo.

Modernização de meios aéreos em Portugal
Após longos anos utilizando material obsoleto, as Forças Armadas de Portugal começam a receber aeronaves no estado-da-arte, como caças F-16 modernizados.

Os fuzis da KBP
Conheça os modernos fuzis projetados por esta tradicional empresa russa.

Especial Argentina
Como as matérias sobre as Forças Armadas argentinas despertam grande interesse para os brasileiros, Segurança & Defesa resolveu fazer um “tour de force” e, graças ao esforço de nossos correpondentes na nação vizinha, Juan Carlos Cicalesi e César del Gaizo, além de várias notícias, estamos apresentando nada menos que cinco matérias dedicadas à Argentina nesta edição: Corvetas A69 na ARA, Contratorpedeiros Type 42 na ARA, Mirage Mara na FAA, Modernização de Blindados Panhard no EA e uma sobre o novo Sistema Antiblindados Mara.


EDIÇÃO 77

“Ninguém vence o Brasil na Selva”!
A declaração é do Comandante Militar da Amazônia, General-de-Exército Cláudio Barbosa de Figueiredo, em entrevista a S&D. 

IMDS 2003
Veja as principais novidades da indústria naval militar russa, apresentadas durante esta feira. 

EH 101 apresentado no Brasil
O helicóptero europeu esteve no Brasil no início de novembro de 2003, para ser demonstrado à Força Aérea Brasileira e à Marinha do Brasil. 

Royal Navy: ainda um poder naval oceânico
Mesmo com as restrições orçamentárias impostas pelo fim da Guerra Fria, a Marinha Real ainda mantém sua capacidade naval oceânica.

Torpedos pesados
Conheça as novidades na área desta arma e as características dos principais modelos existentes no mercado.

S&D Entrevista o Diretor do Centro de Projetos de Navios
O Centro de Projetos de Navios (CPN) é uma Organização Militar ímpar dentro da Marinha do Brasil. Ao mesmo tempo importantíssimo e relativamente pouco conhecido, o CPN merece ter suas atividades divulgadas. Assim, “Segurança & Defesa”, na pessoa do Editor, Mário Roberto Vaz Carneiro, entrevistou recentemente o Capitão-de-Mar-e-Guerra (EN) Carlos Freire Moreira, Diretor do CPN.


EDIÇÃO 76

Os "Halcones" e suas garras
Nossos correspondentes na Argentina contam a história da introdução em serviço dos A-4AR Fightinghawk na Fuerza Aérea Argentina. 

Mattoso Maia volta à ativa
Acompanhe com S&D a volta ao serviço ativo do Navio de Desembarque de Carros de Combate Mattoso Maia, da Marinha do Brasil, após o seu Período de manutenção Geral.

LAD 2003: os 4x4 foram a maior atração
Saiba por que os veículos 4x4 roubaram a cena dos caças concorrentes ao programa F-X, durante a LAD 2003.

HA-1 comemora seus 25 anos
Conheça um pouco da história desta unidade de elite da Aviação Naval Brasileira e do seu principal meio: o versátil helicóptero AH-11A Super Lynx.

Mísseis ar-ar: as opções da FAB
Para a Força Aérea Brasileira (FAB), um dos principais requisitos do programa F-X é o acesso às chamadas "armas inteligentes". Entre essas, destacam-se os mísseis ar-ar de longo alcance ou BVR (Beyond Visual Range) e os mísseis ar-ar de curto alcance ou WVR (Within Visual Range). O artigo analisa as opções à disposição da FAB.

Operação Ribeirex 2003
O Pantanal Matogrossense apresenta inúmeros desafios naturais à atuação do homem. Recentemente, navios, aeronaves e tropas da Marinha do Brasil participaram, naquela região, da Operação Ribeirex 2003. 

Manutenção de aeronaves do Ejército Argentino
Quando da passagem de uma aeronave, poucos têm em mente aqueles que, com dedicação ao serviço e trabalho silencioso contribuíram para que aquela aeronave pudesse voar. O Batallón de Abastecimiento y Mantenimiento de Aeronaves 601, do Ejército Argentino, é um bom exemplo disso.

Andrea Doria: O novo navio-aeródromo italiano
O artigo descreve o Andrea Doria, navio-aeródromo que, quando entrar em serviço em 2007, será o maior navio de combate construído na itália desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Asas rotativas: Uma proposta para maior integração
A criação do Ministério da Defesa e o fato de as Forças Armadas Brasileiras operarem helicópteros — alguns deles de modelos idênticos — poderia, ou deveria, favorecer um maior grau de cooperação e integração entre as respectivas Aviações de Asa Rotativa. O primeiro passo poderia ser a unificação do treinamento.

Submarinos Classe "Amur 1650"
Conheça os detalhes dessa nova série de submarinos convencionais, desenvolvido pelo Bureau de Projetos Rubin, de São Petersburgo, Rússia. 

PzH 2000
Capaz de manter uma cadência de até dez tiros por minuto, o obuseiro auto-propulsado de 155mm PzH 2000, projetado e fabricado pela KMW (Krauss-Maffei Wegmann), excede os requisitos mínimos do exigente Exército Alemão.


EDIÇÃO 75

S&D Entrevista: O Comandante da ForS
Segurança & Defesa conversou longamente com o Contra-Almirante Fernando Eduardo Wiemer, o comandante da Força de Submarinos da Marinha do Brasil. 

Exercício Anaconda e ANFL
Acompanhe com S&D como se desenrolou o recente exercício ribeirinho “Anaconda”, realizado na Argentina.

A FAB no Século 21
Conheça os planos e programas em que a Força Aérea Brasileira está desenvolvendo para se modernizar e, finalmente, tornar-se uma Força Aérea do Século XXI.

Batalhão de Artilharia do Corpo de Fuzileiros Navais
Veja por que o Batalhão de Artilharia do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil é considerado uma unidade “sui generis”

Arsenal: Artilharia Naval na Rússia
Conheça alguns dos principais canhões navais médios produzidos por essa indústria russa.

Reestruturação na Sukhoi
A empresa mais dinâmica e bem-sucedida do cenário aeronáutico russo muda de nome e se reestrutura. 

A Revolução do São Paulo
Veja quais são as modificações e novos conceitos que a aquisição do Navio-Aeródromo São Paulo pela Marinha do Brasil trará à Força de Superfície.

Mísseis Antiaéreos na Marinha do Brasil
Conheça os principais modelos de mísseis superfície-ar empregados a bordo dos navios da Marinha do Brasil.

CH-X: Agora só dois concorrentes
Embora sem o mesmo "glamour" da concorrência F-X, o programa CH-X também é importante para a FAB. 

Submarinos nucleares: Sonho ou solução?
O submarino nuclear é, realmente, uma necessidade para a Marinha do Brasil, ou apenas um devaneio?

KBP: Da pistola ao sistema antiaéreo, em 75 anos
Conheça a história e a linha de produtos de uma das principais empresas da área de defesa da Rússia.


EDIÇÃO 74

Submarinos argentinos
Com o retorno à operação do ARA San Juan, após reparos efetuados no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, a Armada Argentina volta a contar com três submarinos??

ISAF/Afeganistão 2002: Entre a guerra e a paz?
Acompanhe com S&D os problemas enfrentados pela Força de Paz da Organização das Nações Unidas que atuou no Afeganistão??

Mirage IIIEA/DA na Fuerza Aérea Argentina?
Conheça a carreira do famoso caça francês ao longo dos seus 30 anos de serviço na Fuerza Aérea Argentina e os planos sua substituição, com a falta de verbas para a FAA. 

Carros de Combate no Corpo de Fuzileiros Navais?
Veja como e porque o Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil chegou à escolha do Carro de Combate Leve Steyr SK105AS2 para equipar sua CiaCC??

O A-12 na Temperex 02?
Veja a importante participação do Navio-Aeródromo São Paulo, na recente operação naval Temperex 02, com outras unidades da Marinha do Brasil.? 

MB nas Operações UNITAS e Fraterno?
A participação da Marinha do Brasil nas duas importantes operações navais com marinhas estrangeiras. Você pode ver fotos das duas operações aqui??

11º BIMth: “Para cima e para o alto”?
Conheça essa importante unidade do Exército Brasileiro. A única tropa brasileira especializada em montanhismo militar.

S&D Entrevista: O diretor geral do DAC
O Diretor Geral do Departamento de Aviação Civil (DAC), Major-Brigadeiro-do-Ar Venâncio Grossi, fala sobre a transição do órgão para a futura Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

?CVF: O Futuro Navio-Aeródromo inglês
S&D analisa os requisitos operacionais e as opções da Royal Navy visando a escolha de seus futuros navios-aeródromo, que substituirão a classe “Invincible”. 

CT&I: A visão da Marinha
Conheça o trabalho e as instituições da Marinha do Brasil na área de pesquisa e desenvolvimento.


EDIÇÃO 73 

Fragatas para o Chile
Com o cancelamento de seu ambicioso “Proyecto Tridente”, a Armada de Chile procura navios no mercado de segunda-mão.

VSA na Bosísio
Acompanhe com S&D uma Vistoria de Segurança de Aviação, realizada a bordo da Fragata Bosísio, da Marinha do Brasil.

Helicópteros de Ataque
Conheça os principais modelos de desta especializada categoria de aeronaves, ainda muito pouco difundida na América do Sul.

Carros de Combate: o futuro
Os carros de combate pesado ainda têm seu lugar reservado nos campos de batalha do futuro? Analise com S&D as perspectivas dos MBTs.

Operação “Cruzeiro do Sul”
A Força Aérea Brasileira (FAB) executou esse importante exercício no Sul do Brasil, com a participação de França, Argentina e Chile.

Programa de Propulsão Nuclear Naval
Conheça a história do Programa de Propulsão Nuclear Naval desenvolvido pela Marinha do Brasil.

Modernização de Blindados BMP-3?
O BMP-3 russo é provavelmente o Veículo de Combate de Infantaria mais bem armado do mundo. A empresa russa KBP desenvolveu um programa de modernização que torna o veículo ainda mais capaz. 

B-52: Aos 50 anos e longe da aposentadoria
A decisão da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) em manter em serviço o B-52 até 2040 significa que essa histórica aeronave poderá ter uma vida útil de cerca de 85 anos!

Ecos de Eurosatory 2002
A famosa feira francesa de armamentos terrestres não apresentou grandes novidades em termos de novos veículos. Por outro lado, confirmaram-se algumas tendências já anteriormente identificadas pelos especialistas.


EDIÇÃO 72 

Hey’l Ha’Avir - As Asas de David
A Força Aérea de Israel, embora importantíssima, é relativamente pouco coberta em detalhe na mídia internacional. Este artigo visa preencher parcialmente essa lacuna.

Fragatas MEKO ?
Há várias dezenas de fragatas do tipo MEKO construídas e encomendadas — entre elas nada menos que 25 MEKO 200. Agora, o conceito está sendo aplicado a uma nova geração de fragatas e corvetas.?? 

Aviação Naval a todo pano?
A Marinha continua, a passos largos, sua caminhada rumo à plena ?operacionalidade de sua aviação de asa fixa. Em certos aspectos, o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB) tem sido fundamental.??

COAN - A Aviação Naval argentina atualmente?
Sem um navio-aeródromo a partir do qual possa operar, a aviação naval Argentina passa por um momento de transição. Nem por isso, entretanto, o Comando de Aviación Naval deixa de ser um componente importante das forças militares do país vizinho. ??

Marinha aumenta presença na Amazônia ?
Um Batalhão de Fuzileiros Navais, novos navios e modernização dos atuais, além de outros meios. Conheça os planos atuais e futuros da Marinha do Brasil para a ampliação de sua já marcante atuação na estratégica Região Amazônica.

Blindados 4 x 4 Leves?
O programa do Exército Brasileiro para a aquisição de uma quantidade considerável de veículos blindados leves 4x4 torna oportuno um rápido exame de algumas das opções existentes.?? 

Sukhoi quer cooperação hi-tech?
A conhecida empresa russa Sukhoi parece ter se ajustado totalmente às mudanças ocorridas no mercado aeronáutico durante a década passada. 

Mi-26: Um russo na Amazônia??
A futura aquisição de quatro helicópteros pesados para a FAB, objetivando principalmente seu uso na Amazônia, coloca em competição direta dois helicópteros americanos já bem conhecidos (um deles em duas variantes) e um russo, do qual pouco se ouviu falar: o Mi-26.??

A logística na Guerra do Golfo ?
A Logística constitui um sistema operacional com o propósito de prever e prover recursos de toda ordem que permitam a realização de campanhas militares. Tal esforço ficou bastante evidenciado em um dos mais recentes conflitos da Era Contemporânea: a Guerra do Golfo.

MiG 29M: Nova vida para o Fulcrum?
Desde que a produção do MiG-29 foi iniciada, em 1982, mais de 1.500 exemplares foram entregues às forças aéreas da Rússia e de 27 outros países. Vladmir Barkovsky, diretor do Mikoyan Engineering Centre da MiG RAC, acredita que, graças a novas variantes, o avião “não ficará obsoleto pelo menos por mais 20 a 25 anos”.?

Mirage IIIC: Ainda voando na Argentina?
No início de 1983, quando a Fuerza Aérea Argentina incorporou um lote de Mirage IIIC de segunda mão, ninguém imaginou que uma dessas aeronaves ainda estaria voando no início do Século XXI. Mas este é exatamente o caso do C-717, produzido em abril de 1962 e que tem a honra de ser o último Mirage IIIC em serviço operacional em uma força aérea, em todo o mundo.